Memorial Prof. Francisco de Souza Filho

  • Nascido em São Miguel Arcanjo, no sudoeste do Estado de São Paulo, onde passou sua infância, adolescência e juventude. Ali, era carinhosamente chamado de filhinho.Nesse período, viveu e desfrutou da tranqüilidade própria de uma cidade pequena, em que a convivência familiar se confunde e mistura com os demais habitantes, não importando de criança, jovens, adultas ou velhos; as portas das casas ficavam sempre abertas, sem tramelas e as pessoas, todas amigas entravam, sem pedir licença e iam, até a cozinha, tomar café no bule e, saiam, muitas vezes, sem ser apercebidos.Assim, era a saudável vida de uma cidadezinha do interior que, infelizmente não mais existem.

    Após concluir os cursos básicos (primário, ginasial e médio), realizou seu primeiro sonho, ao ingressar da Faculdade de Odontologia da PUC-Campinas que, naquela época contava com um corpo docente dos mais respeitáveis, integrado, nada mais nada menos, elos ilustres Mário Graziani (cirurgia), Césio de Pádua Lima (periodontia), Arão Rumel (radiologia), Fereira Lima (dentística), só para citar alguns.
    Foi nesse contexo que se graduou cirurgião-dentista. Em seguida iniciou sua atividade profissional, com muito entusiasmo e dedicação, em São Miguel Arcanjo, como clínico geral, granjeando a confiança e admiração de todos os que o procuravam.
    Com esta experiência clinica inicial, não tardou muito para se transferir, juntamente com sua família, para Itapetininga, que era tida como a cidade referência para os habitantes de São Miguel Arcanjo. Seu pai, farmacêutico à moda antiga, pois não só aviava receitas, mas também diagnosticava o estado mórbido, aferia a pressão arterial, aplicava injeções, drenava furúnculos, fazia pequenos curativos e preparava os próprios remédios, emplastos e pomadas ou, quando julgava necessário, procedia o devido encaminhamento dos pacientes aos médicos clínicos.Por tudo isso, o “Seu Kitu”, como era conhecido, era um verdadeiro “médico” da família, sempre solicito, tornou-se muito querido por todos.
    O Francisco Filho, o dentista, de filhinho em São Miguel, passou a ser conhecido como Chiquinho em Itapetininga. Herdou os mesmos bons atributos do “Seu Kitu”, primando pela solicitude e carinho dispensados no atendimento de seus pacientes.Evidentemente, não tardou para que sua agenda logo ficasse lotada.
    Ciente da contínua e crescente evolução técnico-cientifica da Odontologia, como autodidata procurava, dentro do possível, mediante leitura de textos apropriados, freqüência de palestras e cursos intensivos, manter uma constante atualização profissional.
    Com o exercício da clinica geral consolidada, despertou em si o interesse em se especializar na área de Endodontia pela percepção da carência, na sua cidade e região, de atendimento mais qualificado nesta importante área da clínica odontológica, a fim de dar segurança aos procedimentos restaurativos e principalmente de prótese dental.
    Norteado por estas razões e movido pelo espírito de pro – atividade, em princípios de 1979, tomou a sábia decisão um curso de especialização em Endodontia. Foi quando tomou a iniciativa de concorrer a uma das 12 vagas oferecidas pelo Coordenado pelo Prof.Luiz Valdrighi na FOP-Unicamp, desde daquela época, mais conceituado e concorrido do País, quatro candidatos para cada vaga.Obteve a honrosa 5ª colocação no exame classificatório.
    Graças ao seu excelente desempenho como aluno, quer nas atividades do aprendizado dos fundamentos teóricos, quando e sobretudo nas atividades da prática clínica, ficando sempre acima da média da turma, no tocante a qualidade e produtividade dos procedimentos laboratoriais e da clinica previstos na programação do curso.Afora estes predicados, demonstrava uma postura ética exemplar, em relação aos seus colegas, pacientes e À coordenação do curso.
    A vista dessas observações e constatações percebia-se que reunia uma forte potencialidade para a docência, sendo-lhe sugerido que fizesse um curso de mestrado para dar continuidade à sua qualificação profissional. Em resposta sua manifestação foi expressa nestas palavras: “É tudo o que desejo no momento.”
    Pelo fato de, na época, não haver no Brasil oferecimento de curso deste nível na área de Endodontia e pela idéia de que seria interessante uma fundamentação melhor de conhecimentos da área das básicas biológicas, particularmente para o entendimento das respostas teciduais aos procedimentos clínicos e qualificação para o diagnóstico.Em atendimento à sugestão do Prof.Valdrighi, concorreu e foi admitido em uma das vagas do curso de Biologia e Patologia Buco-Dental, área de Patologia Bucal, sob a competente coordenação e orientação do Prof.Oslei Paes de Almeida, de quem tornou-se compadre e grande amigo.
    Concluído de forma brilhante o mestrado, por indicação do Prof.L.Valdrighi, foi contratado como professor-assistente da área de Endodontia, do Departamento de Odontologia Restauradora da FOP-Unicamp, com a exigência de fazer Doutorado no prazo máximo de 5 anos.Neste ínterim, a Faculdade de Odontologia de Bauru-USP, tomou a iniciativa de criar e fazer funcionar o curso de Doutorado em Endodontia, sob a coordenação ilustre e competente Dr.Alceu Berbert, que em atendimento a uma solicitação do Prof.L.Valdrighi, foi destinada uma das vagas ao Mestre Prof.Francisco José de Souza Filho.Foi devidamente autorizado pelo Departamento, para poder freqüentar o referido curso, juntamente com os demais colegas, todos docentes de diferentes Faculdades, portanto um grupo diferenciado, com intensa convivência e interatividade, que vieram proporcionar um grande aproveitamento a todos.Ao final de dois anos, submeteu-se ao concurso de defesa de tese do doutoramento, quando foi aprovado com distinção e louvor.Pouco tempo depois de retornar as atividades normais de docente da FOP-Unicamp, nos idos de 1993, o Prof.Valdrighi, bem antes de se aposentar, julgou o momento oportuno de lhe transferir, com muita tranqüilidade e confiança, o comando da disciplina de Endodontia, com idéia de que a transição ocorresse num cenário de plena calmaria.
    A preocupação maior, naquele período, era o da renovação quase completa do corpo docente da disciplina, integrado por 5 professores, todos prestes a se aposentar.
    Por via de conseqüência, era muito importante que a responsabilidade de participar no processo de seleção dos novos docentes, por razões óbvias, ficasse ao encargo do sucessor do Prof.Valdrighi. Desta forma, à medida que foram consumadas as aposentadorias dos professores Orestes Benatti, Antonio Abe, Renato Roberto Biral, Luiz Valdrighi e Joélis Pupo; ocorria, com o aval do Prof.Francisco, a sua substituição.Desta forma, foi recomposto, além dele próprio, o quadro de docentes da Endodontia, com os novos Professores: Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes, Alexandre Augusto Zaia, Fabrício Teixeira , Caio Randi Ferraz e José Flavio Affonso de Almeida, que sob a sua coordenação e liderança assumiam a responsabilidade de manter e tocar à frente o alto conceito e prestígio de que desfrutava até então a Endodontia de Piracicaba.
    Não obstante o peso destas atribuições, o Prof.Chico, como gostava de ser chamado, em momento nenhum titubeou e, muito pelo contrario, adotando a estratégia de reuniões semanais com a equipe, firmava a idéia da importância do espírito do trabalho harmonioso e solidário, a fim de criar um clima saudável de convivência, imprescindível para o alcance das metas que seriam definidas. Os resultados não tardaram a aparecer. Depois de um planejamento cuidadoso, foram definidas as atribuições de cada um e as linhas de pesquisas que seriam incrementadas. A área física dos laboratórios foram reformuladas e, aos poucos, equipados com novas ferramentas de pesquisa.Como conseqüência, não demorou muito para que os frutos do trabalho fossem colhidos, com invejável volume de publicações cientificas de nível internacional.Mercê de sua iniciativa e empenho foi instalado um importante espaço para testes das inovações: o Endo-Centro, que recebeu o nome de Palmiro Ferrante, em homenagem ao ilustre odontólogo, pioneiro, em nível mundial, do exercício da clínica endodôntica com exclusividade.Ênfase deve ser dada, que ali foi instalado o 1º microscópio clinico odontológico no Brasil, que por, pelo menos, uma década funcionou como centro de referência para conhecimento e treinamento na utilização desta importante ferramenta, para a otimização dos tratamentos endodonticos e de outros procedimentos odontológicos.
    Outro episódio a ser salientado, que retrata muito bem seu espírito proativo, foi sua iniciativa de fazer um dos primeiros Cursos de Implantes Odontológicos, na 1ª metade de década de 90, ministrado pelo papa no assunto Prof.Branemark, auxiliado, auxiliado pelo colega brasileiro Dr.Laércio Vasconcellos, fundamentado na osteointegração, com ligas de NiTi, quando os implantes dentais ainda não tinham emplacado pra valer.Como se pode deduzir, uma clara obstinação em buscar a sintonia com o futuro, atitude própria dos visionários.A marca de um clínico, com horizonte de visão mais ampla do que um especialista que não vai além dos conhecimentos de sua especialidade.Inquestionavelmente, este é o ponto marcante do Prof.Francisco, que o diferencia e o faz ocupar o “pódio” entre todos os demais docentes, que tanto honram a Endodontia brasileira.
    Esta qualificação multidisciplinar do Prof.Chico, propiciou a que ele logo ganhasse uma notoriedade dentro e fora da Faculdade, testemunhada pelo grande número, talvez o maior, de convites que recebe para participar ativamente da programação cientifica de Associações de Classe, Faculdades e Congressos nacionais e internacionais, para ministrar conferências e cursos e participar de seminários e painéis, prestigio próprios dos grandes mestres.Em que pese estes afazeres, todos de suma importância para um coordenador de Área, jamais afastou um milímetro sequer de atenção com as suas funções didáticas, quer na graduação, na extensão ou, e principalmente, na Pós-Graduação, esta sempre foi a marca de seu diferenciado perfil.
    Há de se lembrar, que todas estas atividades acadêmicas, em tempo parcial, são desempenhadas paralelamente ao exercício da clinica privada, em Itapetininga e São Paulo, do qual nunca abriu mão, por considerar que, para ser um bom professor de área clinica, antes de tudo tem que ser um bom clínico.
    No que concerne a titularidade na progressão da carreira docente, poderia até ter sido um pouco mais rápida, dado seu inquestionável mérito, no entanto preferiu priorizar a dedicação nas atividades de pesquisa, ensino e extensa, em detrimento do interesse pessoal imediato; mas mesmo assim realizou os concursos de livre-docência o de titular, este ultimo o mais elevado degrau da carreira universitária, o cume.
    Todas estas barreiras foram transpostas com o raro brilho, confiança e determinação.

    O Educador

    Quando ficou entusiasmado com a idéia do mestrado, ficava clara e inequívoca sua vocação para a docência.Não foi fácil convencer o Prof.Oslei a admitir um clinico que não poderia freqüentar o curso em tempo integra, um dos requisitos pétreos do mestrado nas básicas biológicas.Mas, como tudo na vida parece ser guiado por uma força divina, que fazem as coisas do bem acontecerem, e não há de ver que o nosso  Chico emplacou e deu conta do recado, sem a obrigatoriedade de abandonar o exercício de sua clinica em Itapetininga.Estava ali lançada as bases para que um especialista em Endodontia, ganhasse uma qualificação trans-disciplinar, apto a ter uma visão muito mais ampla, não só para o planejamento das atividades clinicas, mas e principalmente na orientação do ensino.Assim, estavam criados os ingredientes necessários para tornar um Endodontista capaz da realização correta de diagnostico de estados patológicos, planejamento e execução dos tratamentos endodonticos, incluindo os cirúrgicos, quando indicados.Com essa formação diferenciada, tinha plena consciência da importância da fundamentação didático-pedagogica, para não atuar como simples professor recitador de informações, sem se importar com a formação dos alunos.Além da transmissão de conhecimentos pertinentes e atualizados, seu empenho era focado na preocupação com a formação integral do aluno como cidadão, preparado para  atuar profissionalmente com observância dos princípios éticos e afetividade.Esta é a característica marcante do Prof.Francisco, um verdadeiro educador, agente de transformação, professor com P maiúsculo.

    Perfil e Postura

    Quem tem a oportunidade de conhecer o Prof.Francisco, o Chico da Endo, percebe logo no primeiro contato, tratar-se de uma pessoa que, não obstante o seu prestigio, carrega a marca da simplicidade  e transmite muita confiança.Age sempre com transparência, honestidade, ética e lealdade, que lhe conferem os fundamentos e valores de crenças morais e de retidão de comportamento.É uma pessoa alegre e cativante, solidário com os amigos, cultiva a empatia, irradia entusiasmo e, quando necessário, confidente e conselheiro para espantar fantasmas do desânimo e da depressão.
    Com seu jeitão acaipirado, que herdou de São Miguel Arcanjo, nunca tem postura arrogante; muito pelo contrário, age sempre com grandeza da alma, sem jamais cultivar o ego hipócrita da pequenez, próprio daqueles que fazem de tudo para aparecer.Encarna a imagem de uma pessoa diferenciada, proativa, tranqüila, empática e solícita, sempre pronto ao atendimento daqueles que o procuram.Muitos destes predicados herdados do “Seu Kitu”, seu guru.
    O Empreendedor
    Outra faceta do Prof.Francisco começou a ser sinalizada pelo seu espírito empreendedor, quando fundou o Orocentro de Itapetininga, uma importante instituição odontológica, clínica-escola, de caráter regional, destinada ao aprimoramento técnico-cientifico de odontólogos, desde recém-formados, até aqueles já com maior experiência clinica. Outro objetivo desta novel instituição é seu caráter social, com atendimentos odontológicos a pacientes, com diferentes necessidades, provindos de Itapetininga e de dezenas de outras cidades da região sudoeste do Estado. Um terceiro e igualmente importante objetivo, consistia em servir como referencia de apoio para atendimento de casos clínicos complicados ou para o diagnostico de patologias bucais incomuns, encaminhados por cirurgiões-dentistas de toda a região.Alem de instalações físicas com área clinica (12 Equipos), o Orocentro contava ainda com infra-estrutura e equipamentos complementares para o bom funcionamento da Instituição, inclusive com inovações, como: microscópio clinico em todos os equipos, localizadores apicais de ultima geração, ultra-som, motores de sistemas rotatórios, entre outros.
    Os cursos de aperfeiçoamento, em diferentes níveis de abordagem, tiveram funcionamento inicial centrado na área de Endodontia e posteriormente, ganhou corpo, e foi estendido a outras áreas de especialização da clinica odontológica, como: ortodontia, estética, cirurgia parendodôntica, implante e periodontia, todos coordenados e ministrados e ministrados por renomados professores, que asseguravam alto grau de excelência.Com o passar do tempo, cerca de 12 anos, seu crescimento tornou as instalações acanhadas para o atendimento da crescente demanda.
    Novamente se fez presente o espírito empreendedor do Prof.Francisco, com muito mais ousadia, ao construir novas e amplas instalações, às margens da Rodovia Raposo Tavares, e abrigar a Faculdade de Odontologia, Centro de excelência do Ensino de Pós-Graduação em Odontologia, realizando com isto seu grande sonho.
    Estão de Parabéns o Prof,Francisco (Chiquinho) e a cidade de Itapetininga por essa grande conquista.

    Itapetininga, 06 de Novembro de 2010.

O OROCENTRO CLINICAL CENTER, com uma tradição de mais de 25 anos, realiza tratamentos odontológicos utilizando a Microscopia Clínica Operatória.

News

Copyrights. © 2018 OROCENTRO Todos os direitos reservados.